Polícia

Matéria publicada em 20/04/12
ÍNDIO TIBIRIÇA
Acidente com moto deixa vítima fatal
Pela segunda vez em menos de um mês, rodovia tem acidente com morte
Leandro Dilon
De Suzano
Osvaldo Birke
Tragédia: Professora que dirigia o carro permanece internada no Pronto Socorro Municipal

O motoboy Rodrigo Amaral da Silva, de 23 anos, morreu em um acidente de trânsito ontem à tarde na rodovia Índio Tibiriçá (SP-31), no Jardim São Luís, em Suzano. Ele conduzia uma moto que bateu com um carro de passeio, conduzido pela professora Selena Rosa de Sousa, 37, que permanece internada em estado grave no Pronto Socorro Municipal. Há menos de um mês, uma professora morreu em um acidente na mesma rodovia, a poucos metros de onde ocorreu a colisão entre os dois veículos ontem.
Por volta das 13 horas, Silva seguia com uma moto Honda de cor azul e placa KVF 6755 pela pista, na altura do km 62, sentido Ribeirão Pires, enquanto Selena estava na pista contrária em um Prisma de cor preto e placa EPK 1590. A polícia ainda não tem a certeza do que ocorreu, mas acredita que a mulher perdeu a direção do carro, que invadiu a pista contrária e atingiu a moto.

Algumas pessoas que estavam no local do acidente ontem à tarde, disseram à reportagem que o carro primeiro bateu em um barranco e depois atingiu o motoboy. O fato é que o impacto da colisão foi muito forte e matou Silva na hora. O capacete do rapaz voou para o acostamento, enquanto o corpo ficou embaixo do automóvel. A parte frontal do Prisma ficou completamente destruída, e a professora ficou presa nas ferragens, tendo de ser socorrido pelos bombeiros. Ela foi levada ao PS, onde permanece internada em estado grave.
De acordo com uma testemunha, Silva trabalhava para uma empresa terceirizada da empresa Vivo e, constantemente, ia para o distrito de Palmeiras realizar alguns trabalhos. O corpo só foi retirado da pista por volta das 16 horas, após a chegada dos peritos do Instituto de Criminalística (IC).

Este é o segundo acidente com vítima fatal em menos de um mês nesta rodovia. No dia 23 de março, a professora Sara Cristina Galvão, 26, que dirigia um Celta, bateu de frente com uma Van, e não resistiu aos ferimentos.


Rodovias perigosas
Anteontem, em uma batida entre dois caminhões na rodovia Ayrton Senna (SP-71), em Itaquá, o ajudante José Cirino, 66, morreu. Ele estava no banco de passageiro de um dos caminhões. O caso foi registrado como homicídio culposo (em que não há intenção de matar) na delegacia central.